Saiba quais são as armadilhas dos bancos

Saiba quais são as armadilhas dos bancos

Recentemente notícias acerca das disputas entre bancos por clientes de alta renda tem se destacado…

Recentemente notícias acerca das disputas entre bancos por clientes de alta renda tem se destacado nos meios de comunicação. Aponta-se que o uso da estratégia que incentiva o aumento da realização de contas vips tem como objetivo elevar mais ganhos, ou seja, lucratividade para as instituições bancárias.Isso não quer dizer que os clientes não possam ter uma conta do tipo “premium” e determinados cartões específicos oferecidos para clientela de alta renda. A preocupação é com investimentos e produtos nocivos oferecidos pelo banco com a intenção de ter a maior parte do dinheiro do cliente – que sem ao menos saber pagar além da conta, quando este poderia lucrar mais.

 

Esse segmento costuma ser muito atrativo para os bancos, que procuram constantemente por esse perfil de cliente – com renda mensal de aproximadamente 10.000 ou com 100.000 aplicados. Sendo assim, as agências possuem profissionais preparados para atrair clientes vips às armadilhas lucrativas para instituição.

 

Mas, afinal quais são essas armadilhas que os bancos preparam? Para saber se você já está sendo vítima ou até mesmo evitar tais situações, destaca-se abaixo as principais armadilhas preparadas pelos bancos, entre quais:

 

Fundos Tóxicos

Os bancos apresentam baixa rentabilidade para o correntista de varejo de Alta renda, criando fundos tóxicos que quase ninguém percebe. É como se o cliente estivesse pagando uma tarifa oculta, pois perde mais do que ganha. Os bancos atraem investidores e oferecem alternativas pouco rentáveis. Além disso, esses fundos ruins estão carregados de títulos privados. A maiorias dos fundos oferecidos pelo banco são tóxicos, por isso é preciso ficar atento.

 

CDBS Pífios

Considerado um dos investimentos mais populares do Brasil, o CDB pode ser um mal investimento quando o banco apresenta baixa rentabilidade e péssimo atendimento e informação. Os CDBS que não pagam 100% do CDI corroem o dinheiro ao longo do tempo. Ocorre, então, o efeito de juros compostos, só que garantindo lucros para os bancos, enquanto o cliente acredita está fazendo um bom investimento.

 

LCI / LCA

Com o atrativo de serem isentas de imposto de renda, a LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) se tornaram uma boa alternativa para os correntistas. No entanto, os bancos logo arranjaram um jeito de se aproveitaram desse potencial para lucrar, colocando o gerente em ação para tirar o foco na rentabilidade enquanto este argumenta as vantagens de não pagar 15% de impostos. A renda nesse caso acaba sendo baixa, exemplo é uma renda de apenas 65% do CDI, quando o cliente poderia ter até mais do 100% de CDI num bom investimento.

 

Metas dos Gerentes

Sabe aquele contato inesperado do gerente? Do nada é oferecido um investimento que corresponde ao seu perfil, mas que de repente ao ser avaliada a alternativa apresenta mais lucratividade para o banco. O gerente dribla a situação com o discurso de vendedor para que o cliente acredite que é a melhor opção ou garantia para um futuro. Afinal, o gerente possui metas para receber seu bônus, por isso vende os produtos impostos pela agência em que trabalha como o foco da semana para seus clientes.

 

Guinada 360º

Inovação que aparentemente parecia ser uma boa iniciativa, permitindo que os clientes exclusivos possam acessar os fundos de outras instituições, também apresenta mais uma pegadinha dos bancos. Na prática, o correntista passa a não migrar dinheiro para corretoras independentes, pois o banco promete que o cliente terá uma plataforma 360º com os mesmos produtos de uma corretora independente. Entretanto, o banco exige valores altíssimos, na faixa de R$ 1 milhão, para ter acesso aos produtos bons.

 

Portanto, com base nessas informações e armadilhas apontadas como estratégia dos bancos para encher mais os seus cofres, observa-se a relevância do conhecimento acerca do assunto para evitar tamanha desvantagem, bem como a necessidade da busca pelos seus direitos como cliente. Em caso de serviços e produtos abusivos, que violem o direito do consumidor, vale a pena investir na advocacia especializada em direito bancário para orientar e atuar de modo que o cliente mantenha seus direitos e denuncie tais abusos por parte dos bancos.

 

Publicado por Henrique Guimarães Advogados Associados

Deixe seu comentário


Envie uma mensagem...