Saiba quando o direito do bancário é violado

Saiba quando o direito do bancário é violado

Embora os bancários tenham conquistados os seus direitos, as empresas e bancos podem não cumprir…

Embora os bancários tenham conquistados os seus direitos, as empresas e bancos podem não cumprir com as suas obrigações, o que prejudica os funcionários e gera diversos conflitos. Sendo assim, a advocacia especializada no direito trabalhista do bancário possui um papel relevante para evitar o descumprimento das leis e garantir os direitos desses trabalhadores.


Um dos principais direitos do bancário é a sua jornada de seis horas, que deve ser cumprida e, no entanto, esse direito tem sido violado.Frequentemente, ocorrem reduções salariais que motivam o bancário a recorrer na justiça do trabalho. Além disso, o empregador pode usar o argumento de que o bancário deve trabalhar mais do que a hora de jornada de seis horas quando este assume um falso cargo de confiança.


Existe também uma violação do sistema de ponto do trabalhador, o que deveria comprovar a hora que este chega e sai do trabalho. Entretanto, pode ocorrer de não constar a verdadeira jornada de trabalho nesse sistema, o que desencadeia frustrações e conflitos, levando o funcionário a procurar a justiça. Assim, Aloysio Corrêa da Veiga afirma:


“A duração do trabalho do bancário, contemplada como regra geral em 6 horas, para alguns, não mais se justifica diante da automação e da mudança sensível na atividade bancária. Para outros, a conquista histórica tem que ser preservada por se tratar da própria identidade profissional (VEIGA, 2009, p.24)”

Esses são alguns dos motivos que os bancários podem vivenciar, sendo estes prejudicados pelo empregador que nega os seus direitos. Se o trabalhador enfrenta alguns desses problemas, aconselha-se a procura de um bom advogado para requerer pelos seus direitos.


 

Referência: VEIGA, Aloysio Corrêa. JORNADA ESPECIAL DOS BANCÁRIOS. Rev. TST, Brasília, vol. 75, no 2, abr/jun 2009


Publicado por Henrique Guimarães Advogados Associados

Deixe seu comentário


Envie uma mensagem...