Armadilhas na entrega do imóvel

Autor Henrique Guimarães Artigo de Henrique Guimarães
Advogado Especialista em Direito Civil/ Direito do Consumidor e Direito Processual Civil, Professor do Curso de Pós-Graduação em Direito Imobiliário da UNIFACS, Membro da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB-BA (2010-2012), colunista jurídico do site de notícias BahiaJá.

Conheça os direitos do consumidor e como se livrar as armadilhas na entrega do imóvel.


Problemas no setor de construção civil, como escassez de mão-de-obra, tornaram atrasos na entrega dos imóveis muito comuns. Mas, para garantir os direitos de quem está arcando com outra moradia mais tempo que o previsto, a Justiça vem tomando decisões favoráveis aos consumidores.


Esses atrasos estão tão constantes que já foram praticamente institucionalizados, um exemplo disso, é que alguns contratos prevêem uma tolerância de 180 dias para a entrega das chaves. O que representa mais um ano de prestações corrigidas pela inflação e também de um possível aluguel com a própria moradia.


Armadilhas na entrega do imóvel

Conheça as principais armadilhas dos contratos e seus direitos em cada caso:

1- Cláusula que prevê uma tolerância de até 180 dias para a entrega das chaves em caso de atraso da obra: esse atraso é ilegal, pois existe um desequilíbrio no contrato, onde se o consumidor atrasar suas obrigações, tem que arcar com as penalidades, como juros e correção, mas se a construtora atrasar terá respaldo pelo contrato.
Vale lembrar que o consumidor tem o direito de contatar a construtora e até de entrar na Justiça já a partir do primeiro dia de atraso na entrega das chaves.


2- Mesmo com a obra em atraso, o montante devido continua sendo corrigido pelo INCC, mesmo depois da data prevista para entrega das chaves: o consumidor não paga juros em um financiamento de um imóvel na planta até a entrega das chaves, pois o imóvel continua em nome da empresa, e não é possível pagar juros sobre o valor de um bem que não é seu.


Entretanto, durante a construção o montante é corrigido pelo INCC, índice de inflação que geralmente fica acima do IPCA.


A solução para este caso é recorrer à justiça que tem concedido liminares que determinam às construtoras a suspensão da correção monetária a partir do momento em que a entrega das chaves é adiada e pagamento de multa caso a construtora insista na cobrança.


3- Muitas vezes o consumidor não consegue passar sua dívida da construtora para um banco imediatamente após a expedição do Habite-se, como deveria ser. Ou quando o Habite-se é expedido, nem sempre o imóvel está habitável. Mesmo assim, continua a correção monetária pela inflação, e a construtora passa também a cobrar juros: quando isso acontece o consumidor é lesado porque a construtora passa a cobrar correção monetária pelo IGP-M e uma taxa de juros. Isso ocorre por causa da burocracia, muitas vezes, para migrar a dívida para um banco, o consumidor precisa da matrícula individualizada do imóvel, o que a construtora leva pelo menos 45 dias para obter após a expedição do Habite-se.


Existe também outro problema quando a expedição do Habite-se não coincide com o imóvel habitável. Ele está tecnicamente pronto, mas ainda podem estar faltando alguns itens essenciais à moradia. Ou seja, além de arcar com os custos adicionais após a expedição do Habite-se – juros e correção pelo IGP-M – o consumidor não pode sequer se mudar para seu imóvel, e vai continuar a pagar aluguel.


Nesse caso, o consumidor não é obrigado a pagar nem correção, nem juros, uma vez que o atraso na migração da dívida para o banco não é culpa dele, mas sim da burocracia ou da própria construtora.


4- Colocar o pagamento da chamada “parcela das chaves” à data de previsão de entrega do imóvel, e não à entrega das chaves, efetivamente: essa situação pode pegar o consumidor de surpresa e ocasionar atrasos e consequentemente multa e juros.


Neste tipo de situação, o consumidor pode, também, pleitear a suspensão e/ou devolução desta multa e tentar prorrogar a data de pagamento, para quando elas forem efetivamente entregues.


Está tendo problemas com Atraso na entrega do imóvel entre em contato diretamente conosco da Henrique Guimarães Advogados Associados pelo Fale Conosco ou nos ligue.


Copyright © 2017 Henrique Guimarães Advogados Associados - Sitemap